Vídeos

Loading...

domingo, 6 de setembro de 2009

Quem é generoso, progride na vida. - Pe. Jerônimo Gasques


“Não é livre aquele que não obteve domínio de si mesmo”. Pitágoras.


Muitos, quando não vivem a benção, “ficam tateando ao meio-dia, como cego que tateia na escuridão, e em seus caminhos nada será bem sucedido” (Dt 28, 29). O livro dos provérbios diz: “Quem é generoso progride na vida, quem dá de beber jamais passará sede” (Pr 11, 25).

Qual o motivo da prosperidade do profeta Daniel? O temor e a adoração ao verdadeiro Deus. “... Três vezes por dia Ele se ajoelha ali para rezar e louvar o seu Deus, e assim fazia sempre (Dn 6, 11).

Assim deve ser aquele que quer fazer uma experiência com Deus a respeito do dízimo. Existe um caminho?

Excluir a idolatria do ter em excesso e começar a pensar na possibilidade de ter o suficientemente abençoado; experimentar a Deus de uma forma diferente; começar hoje essa experiência com o dízimo; cuidar bem dos 10% de Deus e administrar bem os seus 90%. Afinal de contas, o que você tem é muito maior do que aquilo que é de Deus, você não acha? Você poderá começar a fazer a experiência aos poucos, mas não se acostumar com esse modo de proceder. Infelizmente, muitos se acostumaram a contribuir com pouco e assim
vão levando mês a mês aquela quantia.

É um sinal de alerta de que algo está errado em sua contribuição. É necessário certo domínio de sua administração econômica. Qualquer deslize é sempre muito perigoso. Domine sua economia, administre seu dízimo e será uma pessoa plenamente realizada. Observe esta história: “Jesus estava sentado diante do Tesouro do Templo e olhava a multidão que depositava moedas no Tesouro. Muitos ricos depositavam muito dinheiro.

Então chegou uma viúva pobre, e depositou duas pequenas moedas que valiam poucos centavos. Então Jesus chamou os discípulos e disse: “Eu garanto a vocês: essa viúva pobre depositou mais do que todos os outros que depositaram moedas no Tesouro. Porque todos depositaram do que estavam sobrando para eles. Mas a viúva, na sua pobreza, depositou tudo que tinha, tudo o que possuía para viver” (MC 12, 41-44). Antes de mais nada, é preciso avaliar até que ponto você interessado em mudar, preparado para a mudança.

Lembre-se: se você não mudar algumas formas de viver (paradigmas) sobre como ser dizimista e como o dízimo deve ser implantado em sua comunidade, nada terá resultado. O que é ganhar? O que é gastar? O que é economizar? O que é investir?

Se alguém lhe perguntasse como você ganha seu dinheiro, o que responderia? As pessoas se convenceriam de que é desta forma mesmo que você ganha o seu dinheiro? E se outra pessoa lhe perguntasse como você faria para ganhar mais dinheiro, o que responderia? Você irá convencer seu inquiridor? O que as pessoas conseguem fazer para ganhar mais e mais dinheiro na empresa, no comércio etc? E se aparecesse alguém querendo dificultar o seu sucesso, o que você faria? Você teria coragem de entrar em disputa com seu concorrente somente por causa do seu salário? É possível ganhar bastante dinheiro sem prejudicar o outro? Como você responderia esta pergunta? E se um dia você lesse na Bíblia a Palavra de Jesus: “Como efeito, que adianta ao homem ganhar muito dinheiro, mas perder a sua vida” (MT 16, 26). Como você ficaria diante dessa?

Haveria uma resposta diferente ou você se justificaria diante de Jesus?

É uma questão de decisão!

Extraído do livro: “Dízimo, a experiência que faltava em sua vida”.

4ª Edição – Editora Paulus. www.saojosepp.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe você também. Deixe aqui seu recado.