Vídeos

Loading...

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A RESPEITO DA GRIPE SUINA - INFORMAÇÕES

O que se informar à comunidade em geral e a sociedade enfim...

Questão de saúde publica... Não somente essa, mas as demais moléstias de origem higiênica. As medidas emergenciais não são suficientes para resolver a pandemia. As medidas que se tomam nessas ocasiões não é a solução plausível. Deve-se entender que fazem parte da ecologia natural o advento de algumas moléstias para a purificação da raça humana; afora aquelas que são provocadas pelo próprio homem. Também serve de reflexão à ciência e aos cientistas pensando que sabem de tudo enquanto se preocupam com a célula tronco porquanto não resolvem a enfermidade de uma gripe...

A ciência não é a detentora da sabedoria; tem seus limites e nada pode fazer em função daquilo que é sabiamente instituído naturalmente, apenas amenizar a situação limitando o crescimento demográfico.

Algumas igrejas se adiantaram em dar alguns informes desnecessários. Desejando colaborar disseram: “A fim de evitar o possível contágio da gripe suína – Influenza A (H1N1), ficam suspensos os atos litúrgicos, principalmente, na celebração das Missas, como por exemplo, o abraço da paz, a comunhão na boca, água benta comunitária, segurar as mãos na oração do Pai Nosso e outros que houver que possam facilitar a transmissão desta gripe. Esta medida de prevenção contra a nova gripe deve ser comunicada aos fiéis e vigorará pelo prazo necessário até que seja debelada”.

Se a igreja cumprisse as normas da liturgia não deveria se expor ao trabalho com coisas de somenos importância e não desse relevância a movimentos religiosos alienados da realidade do povo. O maximo que a Igreja poderia fazer, nesse momento, seria a execução de um processo educativo e preventivo sobre a ecologia, higiene, saneamento básico na periferia, educação, saúde pública, política, etc. O trabalho educativo da Igreja deveria ser uma colaboração para que o povo não ficasse mais espantado que esta e, principalmente, por informações constantes da mídia e não dando a impressão de que a igreja pode ser um possível local de contaminação viral.
Muitas pessoas, empresas e repartições publicas estão apavoradas.

Algumas se utilizam de álcool, luvas; outras não se cumprimentam nem com beijinho e aperto de mão e, em certas repartições, a neurose é quase total. No Brasil morrem anualmente mais 70.000 pessoas e mais 500 mil no mundo contaminadas com a gripe “normal” e quase ninguém se preocupa com o numero avassalador. Morrem 10 milhões de sarampo e pneumonia; 2 milhões de crianças com diarréia e sem contar as vitimadas pela malária, pela fome endêmica e pobreza lancinante.

Se atrás da gripe aviária havia um “galo” e na gripe suína qual seria o grande “porco” ou cachaço?! Talvez seja essa a melhor reflexão para o momento. O que será que está por detrás de toda essa “preocupação”?

A agência nacional de vigilância sanitária informa que a gripe suína é uma doença respiratória e a transmissão ocorre de pessoa a pessoa, principalmente por meio de tosse, espirro ou de contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas. Devido a ocorrência de casos de influenza A (H1N1) em vários países, o ministério da saúde tem divulgado muitas informações. Estão disponíveis nos aeroportos, rodoviárias, hospitais etc. sempre em lugares de grande circulação de pessoas.

Vírus influenza A H1N1 = gripe suína... As autoridades sanitárias, como sempre, tentam encontrar o culpado: Assim aconteceu com o HIV – aviaria – vaca louca e agora a suína.
Muitas informações desencontradas que podem causar pavor nas pessoas; inclusive a incessante divulgação de ocorrência de mortes e internamentos de pessoas supostamente contaminadas não contribui para a superação da crise.

Espirro, tosse e contato com secreções receptoras... Por que não se fala sobre relação sexual, beijo na boca, intimidade sexual... Interessa quando a igreja toma postura e denegrir a sua imagem. O médico Varela deveria aparecer na Televisão para contradizer suas teses de prostituição cuidada em favor de uma sexualidade desenfreada desde que se use camisinha... E se vá contra os princípios da igreja.

O vírus é contraído por via aérea... E nem se sabe a sua origem, genética... Assim nos informam, mas nada seguro e certo. Não se sabe em quem acreditar apenas ficar atemorizado como uma suposta vitima. Entretanto ele não voa e não anda solta como uma borboleta, apenas se deduz através de alguns exames e falas médicas.

Fechar escolas para evitar contagio... Universidade e outras repartições publicas ou de aglomeração de pessoas... As igrejas também? Das igrejas que fazem muitos milagres não há o que se temer!

Proteger-se com lenço a boca e nariz ao tossir e espirrar. Esse procedimento é valido para todo e qualquer tempo. Mais que tudo é uma questão de educação que todos deveriam aprender em casa e na escola.

Higienizar as mãos antes das refeições, não tocar olhos, nariz, boca. Por que somente agora se fala sobre isso? Não fazia parte da educação? Pobre dos que tem o TOC. Como ficam ouvindo tudo isso!

A gripe espanhola de 1918. Alguns afirmam que morreram de 40 a 100 milhões de pessoas contaminadas. Inicia-se nos EUA e Ásia. Era o tempo da 1ª guerra mundial (1914-1918), mas se alastra, assustadoramente, na Espanha se finca de forma avassaladora. As pessoas atingidas eram em idade de 20 aos 40 anos somente. Maioria eram jovens que serviam a guerra. Não era transmissiva por vias respiratórias... Guarda até hoje um mistério. Foram feitos muitos experimentos com prisioneiros condenados em troca da sua libertação e não se concluiu que seria pelo contágio.

A peste negra de 1347 e 1351 na Ásia Central, Mongólia, China, Cairo, Síria, Himalaia, Grandes Lagos Africanos, Portugal, França, Itália e matou mais de 75 milhões de europeus. Causadas pelas pulgas dos ratos. Nesse tempo o povo procurava explicação divina; seria um grande apocalipse, os judeus seriam os culpados? Houve roubo, saqueamento dos camponeses atacados pela peste; não havia quem sepultasse os mortos. Os capuchinhos vieram em socorro às vitimas e elegeram São Sebastião como protetor dos pestilentos.

Nesse período um jovem chamado Roque refugiou-se no bosque e um cachorro o alimentava e se tornou o padroeiro dos pestilentos. Na literatura Giovane Boccaccio escreve o livro chamado “Decamerão”. “o Decamerão marca com certa nitidez o período de transição vivido na Europa com o fim da Idade Média, após o advento da Peste Negra - aliás é neste período de terror que a narrativa se passa. Dez jovens (sete moças e três rapazes) fogem das cidades tomadas pela pandemia que dizimava impiedosamente o continente europeu ao se recolherem a uma casa de campo”.

A praga de Londres ou peste bubônica no século XVI (1665-1666) disseminada pelas pulgas de cães e ratos nos portos vitimou um quinto da população dos londrinos.

Assim aconteceu com a peste negra na idade media, a varíola, cólera, gripe e tifo, gripe Hong Kong, Russa, malaria e outras que apareceram e dizimaram milhões de seres humanos. Nesta ocasião houve quem culpasse a Igreja por afirmar que o banho era proibido pela igreja alegando pecado... e, devido, a precariedade da higiene... Tudo não passou de uma simples punição sem o mínimo de critério de justiça.

A gripe suína já aparece no México e o seu virus foi isolado em 1930. mas tudo passou e pensavam que o vírus estava morto!

Pandemia da gripe e peste bubônica: a historia da pandemia de 1918 e sua atuação no Brasil por imigrantes aportados em Santos por volta de 1890. Atuação do sanitarista Dr. Osvaldo Cruz para a erradicação da febre amarela, transmitida por mosquito. Podemos ainda falar em dengue, malaria no Brasil, África e Índia.

Empresas farmacêuticas deverão faturar bem e, devido a isso alguma preocupação em ordem psicológica causando estresse na população e o impulso em comprar medicamento, mascara, álcool e etc.

Os governos não investem em Saúde publica o suficiente para população. Quem lucra dessa pandemia são as empresas farmacêuticas, os mercenários da saúde e os escândalos das casas do senado e do congresso. “Se a Organização Mundial de Saúde se preocupa tanto com esta enfermidade, porque não a declara como um problema de saúde pública mundial e autoriza o fabrico de medicamentos genéricos para combatê-la?” Sugestão: não se preocupar com a pandemia.

O cuidado com a saúde deve existir diariamente e sempre pode existir um vírus passeando por ai. A preocupação com a higiene é sempre fundamental. A alimentação sadia pode ser uma grande aliada de uma boa saúde e bem estar social. Nunca sabemos ao certo como esta a nossa imunidade. Isso basta para nos consolar e não deixar os galos soltos ciscando por ai... e os porcos chafurdando-se em abundancia às custas da população deseducada devido um sistema de saúde que não atende as necessidades básicas das populações mais necessitadas.

ORAÇÃO A SÃO ROQUE
São Roque, / vos dedicastes de corpo e alma ao cuidado dos doentes, / e Deus, para provar vossa fé e confiança, / permitiu que contraísseis a doença. Mas esse mesmo Deus, / por meio de um cão,/ vos alimentou de modo milagroso / e também milagrosamente vos curou. Protegei-me contra as doenças infecciosas, / livrai-me do contágio dos bacilos, / defendei-me da poluição do ar, / da água e dos alimentos. Enquanto eu estiver saudável, / vos prometo rezar pelos doentes / e fazer o possível / para aliviar suas dores e sofrimentos. São Roque, / abençoai os médicos, / fortalecei os enfermeiros e atendentes dos hospitais, / curai os doentes, / defendei os que têm saúde / contra o contágio e a poluição. São Roque. Rogai por nós. Amém.
Fonte : Pe. Jeronimo Gasqueswww.saojosepp.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe você também. Deixe aqui seu recado.